Endereço e Contatos

Agrupamento de Escolas da Sé - Lamego

Avenida D. Egas Moniz
Quinta da Cerca
5100-104 LAMEGO

NIF: 600 083 241

Telefone: 254 600280
Fax: 254 615079
URL
www.aves.edu.pt
E-Mail
 Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Coordenadas GPS
Latitude: 41º 05’ 29’’ N
Longitude: 07º 48’ 20’’ O

Plano de Melhoria 1

Logótipo-EM-AVES

Em Revista N5

 email

Eventos no Agrupamento

Abril 2015
2a 3a 4a 5a 6a S D
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 1 2 3

moodle

Projeto Radio Escola

Comunicação Avarias PTE

avarias

Estamos no Facebook

O Tempo em Lamego

 

Visitantes

Hoje36
Ontem49
Semana36
Mês1536
Total66107

28 Visitantes Online

Escolas do Agrupamento

Aluno do 9.º C foi o 1.º classificado (escalão do 3.º ciclo do ensino básico) no Concurso de Poesia "Agora o Poeta és tu...." promovido pela Rede de Bibliotecas de Lamego

Entrega Premio Poema

Sandro Nogueira Alves, aluno nº 16 do 9º C, participou no Concurso de Poesia “Agora o Poeta és tu…” promovido pela Rede de Bibliotecas de Lamego, no âmbito da comemoração da Semana da Leitura 2015 e do Dia Mundial do Livro (23 de abril de 2015, sendo o 1º classificado no escalão do 3º Ciclo do Ensino Básico.

Biblioteca Escolar

CONCURSO “ Agora o Poeta és tu…”
Poema 1º classificado no escalão do 3º Ciclo do Ensino Básico
DOURO


Só tu, Douro, que és património da humanidade,
Ainda nos trazes orgulho e motivo de felicidade!!...
Só tu, Douro, com teus barcos rabelo,
Que ainda fazem apelo aos nossos antepassados,
Que desciam pelos teus socalcos empedrados.
Só tu, Douro, com tuas belas paisagens,
Motivo de muitas imagens,
Das quais mais belas não há!...
Só tu, Douro, com tuas cepas velhas
Que nos dão uvas tão singelas
Que hão de ser martirizadas
E pelo homem serão pisadas!!...
Para nos mostrar tua resplandecência
Que é a essência
Do mosto a levedar
Que mais tarde se vai tornar num néctar divino,
Aquele a que chamamos vinho.
Só tu, Douro, com teus roteiros turísticos
Por contos e lendas mais que verídicos
Nos avivas a memória do que foi e do que é a História.

Viajante imaginário

Pseudónimo: Viajante imaginário
      Sandro Nogueira Alves, 9ºC, Nº 16
      Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego

Partilhar

Clima@EduMedia - Formação Relâmpago na Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego

ClimaEduMedia

No dia 17 de abril, iniciou-se a Formação Relâmpago para alunos do 10.º ano de escolaridade, no âmbito do projeto Clima@EduMedia, desenvolvido ao abrigo do Programa “AdaPT” pela Faculdade de Letras (FLUP), em colaboração com a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e com a sua Unidade de Novas Tecnologias na Educação, em parceria com a Universidade da Islândia e com 25 escolas portuguesas de todo o país, nomeadamente o nosso Agrupamento.

Este módulo de formação decorreu na escola sede e teve como objetivo sensibilizar os alunos para a importância da literacia mediática e da literacia científica, bem como explorar as potencialidades do média escolar (do jornal) e as várias fases da produção de uma peça jornalística.

Cristina Parente

Partilhar

"Astronomia na Escola" - 23 de Abril a partir das 20h30m

astronomia

O Agrupamento de Escolas da Sé estará aberto a toda a comunidade escolar na quinta-feira 23 de abril, a partir das 20h30, para receber todos aqueles que se queiram deslumbrar com as maravilhas do céu noturno.
Nesta observação noturna, no âmbito da atividade do PAA “Astronomia na Escola” dinamizada pelo grupo de Físico-Química e com a colaboração do professor Paulo Sanches, teremos a Lua e Júpiter como “convidados de honra”.

Professora Daniela Lopes

Partilhar

Manoel de Oliveira era o realizador mais velho em atividade

Manoel-de-Oliveira

“Morreu o Manoel, Viva o Cinema”
Ricardo Trêpa

Manoel de Oliveira nasceu a 12 de Dezembro de 1908, na freguesia de Cedofeita, na cidade do Porto no seio de uma família da alta burguesia. Filho de um industrial e primeiro fabricante de lâmpadas em Portugal, ainda jovem, foi para La Guardia, na Galiza, onde frequentou um colégio de jesuítas. Admitiu ter sido sempre mau aluno. Dedicou-se ao atletismo, tendo sido campeão nacional de salto à vara e atleta do Sport Club do Porto, um clube de elite. Ainda antes dos filmes, veio o automobilismo e a vida de boémio. Cedo se interessou pelo cinema, o que o levaria a frequentar a escola do cineasta italiano Rino Lupo, quando este se radicou no Porto. “Berlim: sinfonia de uma cidade”, documentário vanguardista de Walther Ruttmann manoeloliveira1 influenciou-o profundamente. Teve então a ideia de rodar uma curta-metragem sobre a faina no rio Douro, o seu primeiro filme. “Douro, Faina Fluvial (1931)”, estreado em Lisboa, suscitou a admiração da crítica estrangeira e o desagrado da crítica nacional. Mantendo o gosto pela representação participou, como ator, no segundo filme sonoro português “A Canção de Lisboa (1933)”, de Cottinelli Telmo. Diria mais tarde não se identificar com aquele estilo de cinema popular. Em 1942 aventurou-se na ficção e filmou “Aniki-bobó”, retrato de infância no ambiente cru e pobre da Ribeira do Porto. O filme foi um fracasso comercial mas, com o tempo, daria que falar. Manoel de Oliveira decidiu, talvez por isso, abandonar outros projetos, envolvendo-se em negócios da família regressando ao Alto Douro vinhateiro. Só voltaria ao cinema catorze anos depois com “O Pintor e a Cidade (1956)” em que filmou a cores. A fim de adquirir os conhecimentos necessários para tal experiência, fez uma curta formação nos estúdios da Agfa-Gevaert AG na Alemanha.
Em 1963 fez “O Ato da Primavera”, (peça de teatro popular), iniciando assim, uma nova fase do seu percurso. Esta peça e “A Caça” são obras marcantes na carreira de Manoel de Oliveira. O segundo filme, uma curta metragem de ficção, foi interrompido para conseguir fazer bem o primeiro, incursão no documentário, trabalhado com técnicas de encenação. 

manoeloliveira2Certo atrevimento valeu-lhe a supressão de uma cena por parte da censura. Mais ainda: por causa de alguns diálogos inconvenientes ficou dez dias nos calabouços da PIDE.
A obra cinematográfica de Manoel de Oliveira, até então interrompida por pausas e por projetos gorados, só a partir do filme “O Passado e o Presente (1971)” prosseguiria, sem quebras nem sobressaltos, por uns trinta anos, até para lá do final do século XX, com filmes como: A Divina Comédia; Palavra e Utopia; Porto da minha infância; Um Filme Falado; Francisca; Vale Abraão; Non ou a Vã Glória de Mandar; Mon Cas; Os Canibais; Benilde ou a Virgem Mãe; Amor de Perdição; O Princípio da Incerteza; Party; Cristóvão Colombo, o Enigma; O Gebo e a Sombra; Inquietude; Famalicão; As pinturas do meu irmão Júlio; O Dia do Desespero I e II; entre outros… Em 1982 Manoel de Oliveira fez um documentário auto - biográfico de confissões e memórias. O cenário foi a casa onde viveu desde 1940. O filme só será exibido depois da sua morte. Insistiu sempre em dizer que só fazia filmes pelo gozo de os fazer, indiferente às críticas mais negativas. Levou entretanto uma vida retirada, longe das luzes da ribalta.

manoeloliveira3Manoel de Oliveira morreu na madrugada do dia 2 de abril de 2015 às 11:30, vítima de paragem cardíaca. Foi considerado o realizador mais velho em atividade. Era também, dos realizadores no ativo, o único que tinha assistido à passagem do cinema mudo ao sonoro e do preto e branco à cor. Manoel de Oliveira já sofria de problemas cardíacos, mas na madrugada de 2 de abril não resistiu e sofreu uma paragem cardíaca. Como ele próprio citou numa entrevista ao Diário de Noticias: "Para mim é pior o sofrimento do que a morte. Pois a morte, é o fim da macacada". Felizmente o realizador conseguiu concretizar o seu último desejo que era "continuar a fazer filmes até à morte". Manoel de Oliveira era tratado por muitas pessoas como " O Mestre" como uma forma de respeito, e por ter vivido muitos anos de cinema.
Como disse o seu neto, o ator Ricardo Trêpa: “Morreu o Manoel, Viva O Cinema”.

PNC – AVES: Palmira Lopes/ Filipe Ferraz/ Mário Guerra

Partilhar

Reflexão sobre a ação de informação e sensibilização sobre "Relações Interpessoais e Resolução de Conflitos" dinamizada pela Educadora Social, Drª Carla Teixeira

 Ação sensibilização AO

Com o objectivo de permitir uma reflexão sobre conflitos e aprofundar conhecimentos que possibilitem a gestão e resolução dos conflitos de forma assertiva, realizou-se, para os Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais do Agrupamento de Escolas da Sé de Lamego, a ação de informação e sensibilização sobre "Relações Interpessoais e Resolução de Conflitos", que decorreu nos dias 26 e 27 de março. Participaram 50 colaboradores do agrupamento que procederam à avaliação da ação cujos resultados recolhidos foram muito positivos. A referida ação possibilitou a expressão da necessidade de aprofundamento de outras temáticas pertinentes para o desempenho das boas funções da equipa não docente do agrupamento a serem realizadas no futuro.

A ação de informação e sensibilização foi dinamizada pela Educadora Social da Equipa Multidisciplinar.

Dr.ª Carla Teixeira
Educadora Social

Partilhar

Pautas de Avaliação do 2.º Período

Pautas-Avaliação-2-Periodo

Escola Básica de Lamego N.º 2 -

1.º A | 1.º B | 1.º C | 2.º A | 2.º C | 3.º A | 3.º B | 4.º A | 4.º B

Escola Básica de Lamego Sudeste -

1.º A | 1.º B | 2.º A | 2.º B | 3.º A | 3.º C | 4.º A | 4.º C

Escola Básica e Secundária da Sé (2.º Ciclo) -

5.º A | 5.º B | 5.º C | 5.º D

6.º A | 6.º B | 6.º C | 6.º D

Escola Básica e Secundária da Sé (3.º Ciclo) -

7.º A | 7.º B | 7.º C | 7.º D | 7.º E | 7.º F

8.º A | 8.º B | 8.º C | 8.º D

9.º A | 9.º B | 9.º C | 9.º D | 9.º E

Escola Básica e Secundária da Sé (Secundário) -

10.º A | 10.º B | 10.º C

11.º A | 11.º B | 11.º C

12.º A | 12.º B | 12.º C

Partilhar

ministrio da educao Dgeste-Norte   GAVE   POPH